Brasil Holandês

Por Felipe Araújo
No período em que ocorreram as duas invasões holandesas no Brasil, a Holanda estava sob domínio da Espanha. Em 1579 os holandeses declaram independência, porém, sem o reconhecimento do país basco. A guerra entre Holanda e Espanha durou até 1648. Com isso teve início o embargo espanhol, no qual a Holanda ficou proibida de se relacionar comercialmente com as áreas de dominação espanhola, inclusive o Brasil.

A Holanda reagiu ao embargo criando, em 1602, a Companhia das Índia Orientais, que tinha como objetivo a exploração de áreas conquistadas pelos espanhóis na Ásia e na África. Isso forçou a Espanha a assinar a Trégua dos Doze Anos, acordo que durou de 1609 a 1621. Com o término da trégua e as novas restrições impostas pela corte espanhola, os países criaram a Companhia das Índias Ocidentais (1621). Assim, começaram as colônias espanholas na América, dentre as quais estava o Brasil.

A primeira invasão holandesa em território brasileiro ocorreu na Bahia. O almirante Jacob Willekens e seus comandados invadiram a Bahia, que na época era sede do Governo Geral do Estado do Brasil. A reação dos portugueses e brasileiros veio com o bispo D. Marcos Teixeira e Matia de Albuquerque, um administrador colonial português, irmão do donatário da Capitania de Pernambuco.

Iniciada uma guerrilha, o avanço holandês foi impedido, porém, estes já haviam conquistado a cidade de Salvador. Mas a presença dos holandeses no Brasil não durou muito. No ano de 1625, a Jornada dos Vassalos, esquadra lusoespanhola, conseguiu expulsar os holandeses com ajuda dos brasileiros.

Mas houve uma segunda invasão holandesa no Brasil, desta vez em Pernambuco. O ano era 1630 e uma tripulação liderada por Diederik van Waerdenburch desembarcou em Olinda com 70 embarcações e iniciou a invasão. O responsável pela capitania era Matias de Albuquerque, que iniciou nova guerrilha contra os holandeses. O maior conflito foi na Baía da Traição em 1631, quando o espanhol D. Antônio de Oquendo afundou afundou a embarcação do almirante holandês Adrian Jansen Pater. Apesar da vitória espanhola, um brasileiro chamado Antonio Domingos Calabar teria traído o governo brasileiro dando dicas sobre cidades do litoral nordestino para os holandeses. Com isso, eles conquistaram diversos fortes, dominando totalmente a região em 1635. Neste mesmo ano, houve a queda do Arraial de Bom Jesus, o que fez com que Matias de Albuquerque fosse para Alagoas. Lá, foi para a cidade de Porto Calvo, onde encontrou um grupo de holandeses dentre o qual estava Calabar. Matias e seus homens derrotaram os holandeses, prenderam e esquartejaram o suposto traidor da pátria.

Para equilibrar os interesses de invadidos e invasores, já que a guerra apenas causava prejuízo para os latifundiários e para os holandeses, foi instaurado o Governo de Nassau, que durou de 1637 a 1644. Entre suas principais caracateristicas estão…

  1. Consquista de Sergipe e Maranhão
  2. Criação da Câmara dos Escabinos
  3. Vinda de artistas e intelectuais da Europa
  4. Urbanização do Recife
  5. Monopólio do mercado escravista
  6. Liberdade religiosa
  7. Financiamentos aos Senhores de Engenho

Em 1644, Nassau demitiu-se por descordar com alguns interesses da Companhia das Índias Ocidentais. Neste período, a Companhia e a Holanda passavam por sérios e problemas. Para suprí-los, começaram a exigir demais dos Senhores de Engenho. Isso deu início à Insurreição Pernambucana, movimento para expulsar os holandeses do Brasil. Liderada por André Vital de Negreiros e outros comparsas, a Insurreição conseguiu expulsar os holandeses em 1654. Entre as batalhas, destacam-se a do Monte das Tabocas, Guararapes e Campina do Taborda.

Fontes:

Migliacci, Paulo. Os Descobrimentos: Origens da supremacia européia. São Paulo: Editora Saraiva, 1994.
Silva, Janice Theodoro. Descobrimentos e Colonização. São Paulo: Editora Ática, 1987.


Nenhum comentário sobre "Brasil Holandês". Clique aqui para adicionar um comentário.