Guerra contra Artigas

Por Fernando Rebouças
Uma invasão realizada em 1816, a Guerra contra Artigas foi um conflito armado ocorrido entre 1816 a 1820, que resultou na anexação da Cisplatina ao Vice-Reino do Brasil. O conflito se desencadeou no Sul do Brasil, na área oriental do Uruguai e parte da Argentina.

Do lado castelhano estavam as tropas de José Gervasio Artigas, além da Liga Federal; e do lado brasileiro as tropas do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. O conflito naval desencadeou-se no Rio da Prata e no litoral argentino. Ainda houve possessões por parte dos artiguistas sobre as regiões portuguesas e espanholas na Europa, África e Caribe.

A primeira campanha contra Artigas iniciou  em 30 de março de 1816 , quando uma divisão de voluntários portugueses desembarcaram no Rio de Janeiro, compostos de duas brigadas munidas cada uma com batalhões de infantaria, cavalaria e artilharia.

O restante das tropas portuguesas foram mobilizadas para invadir o Uruguai. A invasão pelo litoral foi realizada pela Divisão de Voluntário Reais, que se dirigiram para Santa Catarina em 12 de junho de 1816. As tropas da fronteira se posicionaram nos rios Uruguai e Quaraí.

A Guerra contra Artigas foi inciada em 28 de agosto de 1816, a partir de um ataque das tropas portuguesas à Fortaleza de Santa Tereza. Por outro lado, as tropas de Artigas invadiam, no Rio Grande do Sul, Santana do Livramento e São Borja.

Depois de algumas batalhas, Artigas foi derrotado em 4 de janeiro de 1817, na Batalha de Catalão. No mesmo mês, as tropas da Divisão de Voluntários Reais firmavam presença em Maldonado, ocupando a cidade de Montevidéu sem encontrar resistência. Nessa fase, Portugal determinou a fronteira limítrofe do Brasil no Rio da Prata.

Na segunda campanha contra Artigas, tropas portuguesas reforçaram a Divisão de Voluntários Reais de Montevidéu, para reforço contra o novo exército de Artigas formado em 1819. Sete Povos das Missões foi invadida por Artigas, para vencê-lo, Portugal destacou um Regimento da Cavalaria de Milícias sob o comando de Diogo de Morais Arouche Lara, vencido e morto em combate.

Em janeiro de 1820, Artigas invadiu novamente o Rio Grande do Sul, pressionando o recuo das tropas do coronel José de Abreu para o passo do Rosário. Artigas foi atacado pela frente do conde de Figueira, que deslocou-se de Porto Alegre para ataca-lo nas nascentes de Tacuarembó.

A guerra foi vencida pelas tropas do Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves. Artigas se refugiou no Paraguai, Em 31 de julho de 1821, a região do Uruguai foi incorporada ao domínio português, recebendo o nome de Província Cisplatina.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_contra_Artigas
http://www.ahimtb.org.br/confliext8.htm


Nenhum comentário sobre "Guerra contra Artigas". Clique aqui para adicionar um comentário.