Imigração Polonesa

Por Cristine Delphino
A imigração polonesa pode ser dividida em dois períodos, conhecidos como “febre brasileira”. O primeiro data do final do século XIX e o segundo do começo do século XX.

No começo, os poloneses vinham para o Brasil com o objetivo de cumprir contratos laborais. Em 1795, a Polônia teve o seu território dividido por três países: Rússia, Prússia e Áustria. Foram várias as tentativas dos dominadores de eliminar a cultura dos poloneses. Eles proibiam o ensino da língua e até da religião. Foi então, que depois de muito sofrer e de ficarem cada vez mais acuados, muitos viram a solução em imigrar.

Em 1869, no mês de agosto, um grupo de 16 famílias (formado por aproximadamente 80 pessoas), veio para o Brasil. Estas famílias fixaram-se no atual município de Brusque, Santa Catarina. Devido a uma série de problemas e as condições climáticas, dois anos mais tarde, quase todos deste grupo mudaram-se para Pilarzinho, Paraná.

Este grupo só veio ao Brasil por iniciativa de Sebastian Wos Saporski, que chegou ao Brasil em 1867, da Argentina. Sebastian junto com o padre Zielinski teve a ideia de trazer mais poloneses para o Sul, mas queria alguma terra que eles pudessem fazer uma colônia, algum canto da região do Paraná. Foi preciso muita luta por parte de Saporski para convencer as pessoas que ocupavam os alto cargos. Primeiramente, os alemães viram a possibilidade de escravizar os poloneses, por isso não quiseram saber da transferência das famílias que já estavam em Brusque. Depois de alguns meses de negociação, finalmente Saporski conseguiu a aprovação e recebeu ajuda de custo para os transportes e transferências dos poloneses. Cada família tinha um lote em Pilarzinho.

Até o ano de 1890, os imigrantes poloneses sempre vinham em pequenos grupos para regiões do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Grande maioria saiam das terras superlotadas da Polônia. Foi então, que começaram a chegar em grandes números, estima-se que em apenas um ano chegaram cerca de 30 mil poloneses. Eles vinham para o país com a promessa de receber terra se ajudassem na organização da agricultura. Com o grande aumento de imigrantes, foi preciso organizar. Criou-se escolas, igrejas, comércios e outras vilas.

Em 1918, a Polônia conquistou a independência e muitos imigrantes comemoraram em terras brasileiras. Três anos depois, Kazimierz Gluchowski assumiu o cargo de cônsul polonês.

Fontes:
http://polonesesnobrasil.com.br/
http://www.roeditores.com.br/cultura.htm
http://www.sociedadepolonesakosciuszko.org/pag/polonesesnobrasil.html
http://www.brasilcultura.com.br/perdidos/historia-da-imigracao-polonesa-em-exposicao-no-museu-paranaense/
http://www.hojecentrosul.com.br/hoje/especial/especial-140-anos-imigra-polonesa-brasil
http://www.millarch.org/artigo/os-poloneses-grande-contribuicao-ao-parana
http://nuevomundo.revues.org/5287


Nenhum comentário sobre "Imigração Polonesa ". Clique aqui para adicionar um comentário.